Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Carne de traseiro puxa valorização no atacado

22 de dezembro de 2014 0

Alta de 1,6% nos preços dos cortes durante a semana passada.

Descrevendo um comportamento típico de final de ano, a valorização acumulada desde novembro é de 8,3%, com os cortes de traseiro subindo 11,2% no período e a carne dianteiro com recuo de 1,5%.

Apesar da conjuntura econômica ruim e da dificuldade de repasse do aumento da cotação da arroba, em um ano o preço da carne vendida pelos frigoríficos subiu 13,8%, quase oito pontos percentuais acima da inflação.

O comportamento do mercado de carne na última semana, associado à redução nos preços da arroba, levou a margem das indústrias que fazem a desossa ao melhor resultado desde o início de novembro, 18,3%, próxima da média histórica, que é de 20,7%.

Ou seja, mesmo com as indústrias pagando a matéria prima nos maiores valores já registrados em reais, o consumo de final de ano deu algum fôlego às vendas.

Há ainda duas semanas com alguma perspectiva de boa distribuição, o que pode melhorar ainda mais o resultado.

As festas de final de ano impulsionam as vendas e isso pode trazer os varejistas a novas compras. Além disso, com as escalas de abate praticamente completas para o período, não deve ocorrer aumento no preço da arroba.

Colaborou Alex Lopes, zootecnista e consultor da Scot Consultoria.

Bookmark and Share

Ritmo de final de ano no mercado de derivados

22 de dezembro de 2014 0

O mercado do couro verde está estável, com negócios em ritmo lento devido ao período do ano.

Existem tentativas de recuos, mas o cenário geral é de calmaria, com preço de referência estável em R$3,30/kg, para o produto de primeira linha no Brasil Central.

Este valor é 37,5% maior que o do mesmo período do ano passado. Há um ano os negócios ocorriam em R$2,40/kg.

O preço está estável desde o início de setembro. Veja a figura 1.

A cotação do sebo está estável, com preço de referência em R$1,65/kg, sem imposto no Brasil Central.

Em relação ao mesmo período do ano passado, houve recuo de 4,1%. Em trinta dias a queda foi de 2,9%.

A oferta está curta, mas o ritmo das compras está fraco, o que mantém o patamar das cotações.

No Rio Grande do Sul, o valor de referência está estável, em R$1,80/kg, também com pouco volume de negócios.

Colaborou Hyberville Neto, médico veterinário e consultor da Scot Consultoria

Bookmark and Share

MS: recentes altas no mercado de reposição geram resistência dos compradores

19 de dezembro de 2014 0

Em Mato Grosso do Sul, o pecuarista que compra animais de reposição para terminar viu seu poder de compra diminuir no último ano, para todas as categorias.

Para o garrote de 9,5@ esta redução foi mais expressiva, pois foi a categoria com maior valorização de dezembro de 2013 até agora.

O animal tem sido negociado por R$1.520,00, em média, uma alta de 47,9% no período. Em dezembro do ano passado o preço médio vigente era de R$1.027,50 por animal.

Na média de todas as categorias de machos de reposição no estado, a alta no período foi de 43,7%.

Para uma comparação, a arroba do boi gordo no estado subiu, em média, 29,0% no estado, neste mesmo intervalo.

Atualmente é possível adquirir 1,51 garrote com a venda de um boi gordo de 16,5@ no estado, sendo que no mesmo período do ano passado esta relação de troca era de 1,73.

Dada a expressiva alta dos animais neste período, agora há certa resistência dos compradores aos preços, sugerindo que as cotações possam estar próximas do teto.

Além disso, a recente perda de firmeza no mercado do boi gordo colaborou para a diminuição do ritmo no mercado de reposição.

No entanto, de maneira geral a oferta está curta, o que impede que os preços caiam expressivamente em curto prazo.

Colaborou Maisa Módolo, engenheira agrônomo e consultora da Scot Consultoria.

Bookmark and Share

Frango: vendas fracas ocasionam queda nas cotações

19 de dezembro de 2014 0

O preço do frango vivo ficou estável na semana. Em São Paulo, a ave é comercializada por R$2,35 por quilo.

Aparentemente houve um equilíbrio entre a oferta e a demanda, garantindo uma firmeza no mercado.

No atacado, as indústrias vêm se abastecendo a fim de adiantarem os abates por conta das festas de final de ano.

Contudo, no varejo as vendas estão fracas, gerando estoque no atacado e ocasionando quedas nas cotações.

No atacado, o preço da carcaça de frango recuou 3,6% na semana, cotada, em média, em R$3,25/kg.

Nos supermercados, na média de todos os cortes houve ligeiro recuo nos preços, de 0,2% na semana.

Colaborou Juliana Pila, zootecnista e analista da Scot Consultoria.

Bookmark and Share

Exportações brasileiras de lácteos diminuíram na comparação mensal

18 de dezembro de 2014 0

Em novembro o Brasil exportou US$28,2 milhões em produtos lácteos, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Na comparação com outubro, o faturamento foi 18,0% menor. Em outubro a receita foi de US$34,4 milhões.

O volume também reduziu, de 8,2 mil toneladas para 7,0 mil toneladas embarcadas.

O produto mais exportado foi o leite em pó. Foram 5,4 mil toneladas, com um faturamento de US$22,7 milhões em novembro.

Em valor, os principais destinos dos produtos lácteos brasileiros em outubro foram a Venezuela, o Egito e Angola, respectivamente.

Quanto as exportação brasileira para a Rússia, houve um aumento de 10,0% no volume na comparação mensal, totalizando 288,2 toneladas embarcadas em novembro.

Colaborou Juliana Pila, zootecnista e analista da Scot Consultoria.

Bookmark and Share