Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Brizola Neto é o novo Ministro do Trabalho

30 de abril de 2012 1

O deputado federal fluminense Brizola Neto é o novo ministro do Trabalho. A reunião entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-ministro Carlos Lupi no Palácio do Planalto terminou por volta das 11h30min desta segunda-feira.

Depois do encontro, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho ligou para o líder do PDT na Câmara, André Figueiredo, comunicando a definição.

Pouco antes das 13h, o Palácio do Planalto confirmou a informação. A posse de Brizola Neto deve ocorrer na quinta-feira, dia 3.

A maioria da bancada do partido não aprova a decisão. O partido defendia a indicação do deputado gaúcho Vieira da Cunha ou do secretário nacional do partido, o catarinense Manoel Dias.

Ex-ministro e presidente nacional do PDT, Carlos Lupi pediu demissão em dezembro após uma sequência de denúncias envolvendo sua pasta. Desde dezembro, o ministério era comandado pelo interino Paulo Roberto dos Santos Pinto.

Biografia

Brizola Neto, 33 anos, nasceu no Rio Grande do Sul em 1978, quando o avô, Leonel Brizola, estava exilado no Uruguai. Em seu blog, o novo ministro conta que, aos 16 anos, começou a trabalhar como secretário do avô, então governador do Rio de Janeiro.

Em 2004, Brizola Neto foi eleito vereador da cidade do Rio de Janeiro. Dois anos depois, elegeu-se deputado federal. Em 2009, aos 30 anos, assumiu a liderança da bancada do PDT na Câmara dos Deputados.

Em janeiro do ano passado, licenciou-se do mandato para exercer o cargo de Secretário de Trabalho e Renda do estado Rio de Janeiro.


Brizola Neto é o novo ministro.
Foto: Leonardo Prado, Divulgação

Bookmark and Share

Comentários (1)

  • Felicíssimo Botelho Pinto diz: 30 de abril de 2012

    Será que o Vieira da Cunha, que foi o relator da chamada CPI da Segurança Pública, aquela verdadeira palhaçada que ocorreu no governo Olívio Dutra, achava mesmo que seria ministro de um governo petista??? Só se for muito ingênuo, o coitadinho…

Envie seu Comentário